08
Jun 09

Isabel Sá

 

Vila Cova

4750-826 Barcelos

 

8 de Junho de 2009

 

Caros habitantes do planeta terra

 

           Todos nós queremos viver à nossa maneira mas há várias  maneiras de se viver, que tal sem poluir o nosso ambiente? Assim não destruiriamos aos poucos o nosso único sítio que temos para viver.

           Cada vez mais os espaços verdes são destruídos pelo ser humano para fazer qualquer tipo de construção.

          Não são só as fábricas que poluem a atmosfera. Deitar qualquer tipo de substância também contribui para tal. Vamos contribuir da melhor forma para que tenhamos um ambiente melhor.

 

 

 

     Com as melhores saudações

 

 

 

    Isabel Sá

 

publicado por belitinha às 23:18

Trabalho de Isabel Sá, Fátima Pedrosa e Pedro Ribeiro, 9ºA. Aqui

publicado por belitinha às 22:23

Estava um dia lindo e os alunos tinham acabado de entrar nas salas de aula. Quando de repente ouvem um  enorme barulho. O professor muito preocupado sai da sala para ver o que tinha acontecido. Perguntava a todos a razão daquele barulho, quando vê os livros todos a sair da biblioteca e das salas. Era uma revolução dos livros.

Perguntavam todos, muito admirados, o que se passava com os livros. Ouve-se um grito, o que seria? Era o aluno mais preguiçoso da escola( não gostava de ler nem estudava), não fazia nada. Os livros pegam nele e levam-no para a biblioteca. Os professores ficaram fora da biblioteca boqueabertos, tão espantados que nem sabiam o que fazer.

No fundo da biblioteca ouve-se um som doce e delicado. Afastam-se todos e vê-se um livro muito pequenino. Podia dizer-se que era o livro mais pequeno daquela biblioteca. O aluno pega nele e começa a espreitar para dentro dele. Estava tão admirado que pensou como caberia uma história naquela coisinha minúscula. Os livros rodearam-no e com toda a atenção ouviram-no.

A partir desse dia o aluno ia à biblioteca todas as semanas buscar um livro. Quando cresceu, nos seus tempos livres, ia às escola primárias ler histórias.

publicado por belitinha às 00:08

07
Jun 09

 

Estava um lindo dia. Era uma manhã calma, o sol brilhava. Tudo parecia estar normal.

Mais para o fim do dia, apareceu à minha frente um ser muito estranho. Digamos antes, um extraterrestre.

Pensei que a minha vida acabasse ali! Mas não. Ele foi-se aproximando de mim. Virou-se para mim e disse:

- Olá. Sou o Eliet e tu?

Fiquei de boca aberta sem saber o que responder:

- Eu??

- Sim tu. Não tenhas medo de mim, estou aqui para conhecer melhor o mundo em que os outros seres humanos como tu vivem!

- Chamo-me Leonor. Se não és daqui, és de onde?

- Pertenço ao Planeta Marte.

- Que curiosidade. Como chegas-te até aqui?

-Vim na minha nave espacial. Se quiseres poderei levar-te comigo para Marte.

Fiquei sem saber o que dizer mas achei melhor continuar por cá.

- Não obrigada. Talvez um dia. Mas para já continuarei os meus estudos aqui.

- Ok. Então, até um dia.

Entrou na sua nave espacial e até agora não sei se isto tudo passou de um sonho ou não!

publicado por belitinha às 19:44

28
Abr 09

Todos nós temos um herói ou ídolo, que se caracteriza por aquele que mais admiramos.

Posso dizer que não tenho mesmo um herói mas há uma pessoa que admiro mesmo muito( o meu avô).

O meu avô paterno ensina-me muitas coisas sobre a vida e como era a vida antigamente.

Eu gosto de ouvir as histórias dele, são interessantes e dão-me um grande gosto de as ouvir.

Admiro-o muito por ele ter deixado de fumar em 1980 e 8 anos depois, com o dinheiro do tabaco ter comprado um carro.Quando o vi na TV fiquei orgulhosa dele, Penso que se todas as pessoas fossem assim poderiam melhorar a qualidade de vida. O meu avô é muito inteligente, ensina-me coisas da qual eu não sei ou tenho dúvidas. Na sua adolescência estudou até ao 4ºano, mas quando foi para a marinha estudou até ao 6ºano. Agora com as Novas Oportunidades frequentou o 9ºano e consegui completá-lo. Depois disso começou a fazer o 12ºano e com muito esforço e trabalho da parte dele está a conseguir.

Gostava de ser como ele, ter força de vontade para tudo.

publicado por belitinha às 20:37

Quem diz que Amor é falso ou enganoso,
Ligeiro, ingrato, vão desconhecido,
Sem falta lhe terá bem merecido
Que lhe seja cruel ou rigoroso.

Amor é brando, é doce, e é piedoso.
Quem o contrário diz não seja crido;
Seja por cego e apaixonado tido,
E aos homens, e inda aos Deuses, odioso.

Se males faz Amor em mim se vêem;
Em mim mostrando todo o seu rigor,
Ao mundo quis mostrar quanto podia.

Mas todas suas iras são de Amor;
Todos os seus males são um bem,
Que eu por todo outro bem não trocaria.

                   Luís de Camões
 

publicado por belitinha às 19:44

13
Mar 09

No quadro que a professora mandou analisar na aula de estudo acompanhado a Português, encontra-se uma barca. Dentro dela estão duas freiras, um frade, um homem deitado na barca e três homens atrás.À frente da boca deles está o pão a descer por uma corda.

 No centro está uma mesa com cerejas e vinho.

 Fora da barca, estáo duas pessoas nuas pedindo comida. No lado esquerdo, uma freira está a ajudar o Homem que se encontra deitado na barca.

Ao centro da barca está uma árvore que seria o mastro e nela está um ganso pendurado e um homem está a tentar roubá-lo, erguendo o braço com uma faca na mão. O Bobo encontra-se sentado num cordame a beber.

publicado por belitinha às 18:51

A primeira personagem é um ALUNO, e chegando ao batel infernal pergunta:

 

ALUN. Pera onde vai este navio?

DIA. Pera a lareira.

        À barca, à barca, sem demora.

ALUN. Porque haverei eu de embarcar neste navio?

DIA. Foste tu invejoso noutra vida...

ALUN. Eu? Invejoso? Quem me dera a mi viver mais

             tempo. Pera obedecer mais a meus pais.

             Não embarcarei eu neste batel. Não haverá

             outro?

 

 

(Chama o Diabo pelo Anjo em voz alta)

 

DIA. Hou da barca! Houlá! Hou!

         Não me ouvis? Respondei-me.

ANJ. Que me quereis?

ALUN. Saber pera onde is.

ANJ. Vou pera as nuvens.

          Mas não embarcarás tu neste batel.

ALUN. Porque não?

             Se me esforcei eu

             pera ter um futuro bom.

             E ajudei quanto podia

             meus colegas.

ANJ. Mas foste tu também

         mal mal educado com os

         professores.

ALUN. Ajudei  também eu

             meus pais nos trabalhos

             domésticos.

ANJ. Samicas possas tu

          embarcar neste batel.

          À barca,à barca!

 

 

 

 

Após o Aluno ter embarcado na barca do Anjo chega ao batel infernal uma ENFERMEIRA e diz:

 

ENF. Houlá! Hou!

DIA. Que me quereis?

ENF. Saber pera onde is.

DIA. Pera a ilha vermelha.

ENF. Não quero eu embarcar

          neste batel.

DIA. Não tens tu escolha,

         Porque foste noutra

         vida, negligente, mal educado

         com os teus pacientes e 

         hipócrita.

ENF. Salvei eu também muitas 

           vidas.

DIA. Não te vale isso de

        nada, se nem a tua

        consegues salvar .

         À barca, à barca.

         Remarás.

 

E dando o Diabo um par de remos à Enfermeira, esta entra dentro da barca.

publicado por belitinha às 18:20

30
Nov 08

Na nossa sociedade, existem dois mundos muito diferentes um do outro. Num dos mundos existe a riqueza, onde têm muito dinheiro. Para essas pessoas o dinheiro que têm nunca chega, querem sempre mais. Com ele (dinheiro) frequentam restaurantes caríssimos, fazem várias viagens, têm casas de luxo, têm tudo que qualquer pessoa com mais dificuldades gostava de ter, mas querem sempre mais. Depois existe o mundo que é muito diferente do outro que já falei. Que é onde estão as pessoas com mais dificuldades, que maior parte delas não têm onde viver. Não têm o dinheiro suficiente para a alimentação delas e dos seus filhos, para pagar as suas contas. Muitas delas vão a pé para o trabalho porque não têm possibilidade alguma para comprar um carro. Não custa nada ajudar para evitar esta desigualdade.

publicado por belitinha às 18:15

06
Out 08
A tristeza de estar só, Dentro se um só mundo, É desagradável Pois me desiludi muito. Pensava que estar só Era bom. Mas, ao ver a felicidade da minha companhia Mergulhando nas águas profundas, intensas Fiquei irradiante. A felicidade não se sente, Constroi-se Pois ele construiu-a dentro de mim E perante os seus amigos do mar.
publicado por belitinha às 20:38

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO